camera-action

Sobre Nós

Acreditamos que uma história bem contada pode realmente fazer a diferença na forma como as pessoas veem o mundo. Quer se trate de ficção, documentário, série, ou outras formas de mídia, nós, da Maria Farinha Filmes, existimos para contar impactantes e inspiradoras historias que provoquem transformação.

b-corpSeguindo esse modelo de trabalho, a Maria Farinha Filmes, no ano de 2013, foi a primeira produtora da América Latina a se tornar Empresa B certificada. Esse selo tem o objetivo de certificar empresas que usam o poder dos negócios para criar soluções para problemas sociais e ambientais no mundo.

  • Luiz Carlos Merten

    Achei o filme tão bonito, tão emocionante que chorei e me reportei a minhas leituras, a meus jogos e à felicidade que era subir em árvores e comer frutos (sem lavar) enquanto via…é maravilhoso

    Luiz Carlos Merten
  • Deni Rubbo

    Assim, em Tarja Branca, às vezes fica a sensação de que basta que cada pessoa olhe para a criança que está dentro de si e aflore espontaneamente o universo lúdico da qual estava tolhida.

    Deni Rubbo
  • Mônica Rodrigues da Costa

    Sem ser agressivo por se contrapor à pressa cotidiana no mundo do consumo, o filme deixa clara sua intenção (…) Quem não brinca nunca terá bem-estar na vida adulta.

    Mônica Rodrigues da Costa
  • Eliane Brum

    Documentários como o de Estela Renner e livros como o de Michael Mosssão oportunidades para pensar e entender o que está acontecendo, enquanto somos tonteados por apelos de consumo dentro e fora de casa. São também estímulos para romper a passividade e tomar posição.

    Eliane Brum
  • Paulo Lima

    Estela e a equipe do Alana prestam um serviço de enorme relevância ao País e acendem uma luz amarela forte de alerta sobre como podemos estar inadvertidamente patrocinando a morte prematura e lenta de nossos filhos a cada ida ao supermercado.

    Paulo Lima
  • Daniel Vilela

    Às vezes, a gente se esforça muito para achar o fio da meada. Manter a vida dentro dos eixos. Mas se esquece que viver, no fundo, é desatar esses nós cheios de rotina e não ter medo de deixar a linha fluir.

    Daniel Vilela
  • Xandra Stefanel

    O conjunto da obra leva ao espectador a compreensão do tema pelo sentimento, mais do que pela razão. Impossível não se identificar com as histórias e brincadeiras apresentadas e não lembrar das cores brilhantes que devem fazer parte da vida de todas as crianças.

    Xandra Stefanel
  • Cine Garimpo

    Minha memória ficou curta para registrar tantas falas interessantes e analogias que foram feitas nos depoimentos, sobre a importância da brincadeira na formação das pessoas.

    Cine Garimpo
  • Sergio Rizzo

    Tarja branca – A revolução que faltava, faz uma defesa eloquente da brincadeira — lúdica, descompromissada, inventiva — não apenas na infância, mas também na vida adulta.

    Sergio Rizzo
  • Patricia Kogut

    Nota 10 – Para “Jovens inventores”, novidade do “Caldeirão do Huck”. Com esse quadro, a atração, que sempre dá mostras de buscar formatos diferentes, acertou em cheio e ganhou em qualidade. Longe do assistencialismo, a produção vem encontrando ótimos personagens, criativos e empreendedores, com histórias positivas e emocionantes.

    Patricia Kogut
  • Keila Jimenez

    “Jovens Inventores”, uma das melhores sacadas do “Caldeirão do Huck” (Globo) em 2013, tem grandes chances de ganhar nova temporada em 2014.

    Keila Jimenez
  • Luiz Carlos Merten

    Achei o filme tão bonito, tão emocionante que chorei e me reportei a minhas leituras, a meus jogos e à felicidade que era subir em árvores e comer frutos (sem lavar) enquanto via…é maravilhoso

    Luiz Carlos Merten
  • Deni Rubbo

    Assim, em Tarja Branca, às vezes fica a sensação de que basta que cada pessoa olhe para a criança que está dentro de si e aflore espontaneamente o universo lúdico da qual estava tolhida.

    Deni Rubbo
  • Mônica Rodrigues da Costa

    Sem ser agressivo por se contrapor à pressa cotidiana no mundo do consumo, o filme deixa clara sua intenção (…) Quem não brinca nunca terá bem-estar na vida adulta.

    Mônica Rodrigues da Costa
  • Eliane Brum

    Documentários como o de Estela Renner e livros como o de Michael Mosssão oportunidades para pensar e entender o que está acontecendo, enquanto somos tonteados por apelos de consumo dentro e fora de casa. São também estímulos para romper a passividade e tomar posição.

    Eliane Brum
  • Paulo Lima

    Estela e a equipe do Alana prestam um serviço de enorme relevância ao País e acendem uma luz amarela forte de alerta sobre como podemos estar inadvertidamente patrocinando a morte prematura e lenta de nossos filhos a cada ida ao supermercado.

    Paulo Lima
  • Daniel Vilela

    Às vezes, a gente se esforça muito para achar o fio da meada. Manter a vida dentro dos eixos. Mas se esquece que viver, no fundo, é desatar esses nós cheios de rotina e não ter medo de deixar a linha fluir.

    Daniel Vilela
  • Xandra Stefanel

    O conjunto da obra leva ao espectador a compreensão do tema pelo sentimento, mais do que pela razão. Impossível não se identificar com as histórias e brincadeiras apresentadas e não lembrar das cores brilhantes que devem fazer parte da vida de todas as crianças.

    Xandra Stefanel
  • Cine Garimpo

    Minha memória ficou curta para registrar tantas falas interessantes e analogias que foram feitas nos depoimentos, sobre a importância da brincadeira na formação das pessoas.

    Cine Garimpo
  • Sergio Rizzo

    Tarja branca – A revolução que faltava, faz uma defesa eloquente da brincadeira — lúdica, descompromissada, inventiva — não apenas na infância, mas também na vida adulta.

    Sergio Rizzo
  • Patricia Kogut

    Nota 10 – Para “Jovens inventores”, novidade do “Caldeirão do Huck”. Com esse quadro, a atração, que sempre dá mostras de buscar formatos diferentes, acertou em cheio e ganhou em qualidade. Longe do assistencialismo, a produção vem encontrando ótimos personagens, criativos e empreendedores, com histórias positivas e emocionantes.

    Patricia Kogut
  • Keila Jimenez

    “Jovens Inventores”, uma das melhores sacadas do “Caldeirão do Huck” (Globo) em 2013, tem grandes chances de ganhar nova temporada em 2014.

    Keila Jimenez

Filmes

Clientes

Nextel
Greenpeace
Globo
Volkswagen
Plan
Alana
Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal
Bernard van Leer Foundation
  • Jamie Oliver, Muito Além do Peso

    Ao invés de despachar armas e tanques, estão despachando bebidas açucaradas e besteiras comestíveis

    Jamie Oliver, Muito Além do Peso
  • Kumi Naidoo, Greenpeace

    Nosso tempo está acabando. Não existe planeta B 

    Kumi Naidoo, Greenpeace
  • Andrea Jabor

    Brincar é urgente 

    Andrea Jabor
  • James Heckman, Mil Dias

    Dentro do capital humano, não existe sequer um elemento mais importante que a mãe 

    James Heckman, Mil Dias
  • Fernando Henrique Cardoso, Are We Doing Right?

    …esse é o mundo novo, esse é o mundo de vocês! 

    Fernando Henrique Cardoso, Are We Doing Right?
  • Amit Goshwami, Muito Além do Peso

    …ninguém precisaria de petiscos se o entretenimento fosse sólido 

    Amit Goshwami, Muito Além do Peso
  • José Simão, Tarja Branca

    A imagem que eu tenho da minha infância sou eu, vestido de tiroles no meio de um galinheiro… E esse sou eu hoje! 

    José Simão, Tarja Branca
  • Jamie Oliver, Muito Além do Peso

    Ao invés de despachar armas e tanques, estão despachando bebidas açucaradas e besteiras comestíveis

    Jamie Oliver, Muito Além do Peso
  • Kumi Naidoo, Greenpeace

    Nosso tempo está acabando. Não existe planeta B 

    Kumi Naidoo, Greenpeace
  • Andrea Jabor

    Brincar é urgente 

    Andrea Jabor
  • James Heckman, Mil Dias

    Dentro do capital humano, não existe sequer um elemento mais importante que a mãe 

    James Heckman, Mil Dias
  • Fernando Henrique Cardoso, Are We Doing Right?

    …esse é o mundo novo, esse é o mundo de vocês! 

    Fernando Henrique Cardoso, Are We Doing Right?
  • Amit Goshwami, Muito Além do Peso

    …ninguém precisaria de petiscos se o entretenimento fosse sólido 

    Amit Goshwami, Muito Além do Peso
  • José Simão, Tarja Branca

    A imagem que eu tenho da minha infância sou eu, vestido de tiroles no meio de um galinheiro… E esse sou eu hoje! 

    José Simão, Tarja Branca

Impacto

camera-action