Maria Farinha Filmes vai à Câmara dos Deputados debater Projeto de Lei sobre cuidados paliativos

“Nesta quarta, 13, discute-se na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 2460/2022, de autoria da Dep. Luísa Canziani (PSD/PR), que pretende instituir o Programa Nacional de Cuidados Paliativos. O programa tem como foco melhorar a qualidade de vida e apoiar pacientes com doença em estágio avançado.

Cacau Rhoden, diretor do documentário “Quantos dias. Quantas noites”, da Maria Farinha Filmes, participou da sessão com dados sobre a importância e o impacto do tema.”

  [Tela Viva]

Um antídoto para a guerra, e um filme para nossos tempos

“Tudo no filme é potente, sensível e profundamente tocante: as imagens, o roteiro, as ideias transmitidas, e sobretudo os personagens. As histórias retratadas nos fazem refletir sobre nosso papel no mundo, sobre a justiça social, a invisibilidade do sofrimento, sobre o amor e sobre nossa própria vida, em sua dimensão individual e coletiva.”

  [O Globo]

“Quantos Dias, Quantas Noites” reflete sobre a complexidade da longevidade

“Em um mundo cada vez mais consciente dos desafios do envelhecimento, a produtora Maria Farinha Filmes lança luz sobre essa realidade com o seu novo documentário “Quantos dias. Quantas noites”, assinado por Cacau Rhoden, diretor de obras impactantes como “Nunca Me Sonharam” e “Tarja Branca”.”

  [Folha de São Paulo]

Maria Farinha Filmes expande área de desenvolvimento

“A Maria Farinha Filmes decidiu expandir sua área de desenvolvimento com novos talentos e histórias que vão além de séries de ficção de sucesso como “Aruanas” (Globoplay), e a franquia de documentários como “O Começo da Vida” (Netflix). Hoje, a aposta é, também, no universo pop literário, em biopics como “Elza” e “Daiane: a menina que voa” (jornada da primeira jovem negra a ganhar o prêmio mundial e marcar a história da ginástica artística no mundo), em trilhas de desenvolvimento de projetos especiais com artistas engajados – como Alok, Bela Gil e Felipe Castanhari.”

  [Marcas Pelo Mundo]

Documentário da Maria Farinha Filmes propõe reflexão sobre longevidade

“A data de 15 de junho marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, data que dá o pontapé inicial ao movimento de lançamento do documentário “Quantos dias. Quantas noites”, de Cacau Rhoden (“Nunca Me Sonharam”, “Tarja Branca”). Aproveitando a importância simbólica deste 15 de junho, a Maria Farinha Filmes, produtora do longa, lança o primeiro teaser do filme, que tem previsão de estreia nos cinemas no segundo semestre deste ano, e o site oficial, com informações complementares à obra.”

  [Tela Viva]

Documentário 'Quantos Dias, Quantas Noites' discute tabus da velhice e da morte

“Dirigido por Cacau Rhoden – de “Nunca Me Sonharam” e “Tarja Branca” -, produzido pela Maria Farinha Filmes e idealizado por Marta Pipponzi, o filme trata de envelhecimento e finitude, um tema ainda tabu na sociedade.”

  [Inova Social]

Como o sucesso da série ‘Aruanas’ vem ajudando na conscientização social

“A participação em abril no EAVE+, programa europeu para produtoras independentes, foi a materialização de um trabalho que Luana Lobo e Mariana Oliva, sócias e coCEOs da Maria Farinha Filmes, vêm construindo há 13 anos. Foi a produtora que roteirizou e filmou, ao lado dos Estúdios Globo, as duas temporadas da série “Aruanas”, disponível no Globoplay e cuja segunda temporada começou dia 9 de maio a ser exibidda na grade aberta da TV Globo e já bateu recordes de audiência para o horário.”

  [Valor Econômico]

Série 'Aruanas' e clássico do futebol batem recorde de audiência na TV

“A série “Aruanas” marcou 11 pontos de audiência em São Paulo nesta terça-feira (6). Foi o recorde de audiência da produção após cinco episódios exibidos.”

  [O Globo]

Produtora Executiva de Desenvolvimento da Maria Farinha Filmes participa de painel no Cannes Docs

“Yolanda Maria Barroso, Produtora Executiva de Desenvolvimento da Maria Farinha Filmes, participa do painel Unpacking Sovereignty and Curatorial Justice: The Filmmaker’s Perspective. […]

Convidada por Marion Schmidt – uma das fundadores e co-diretora do Documentary Association of Europe (DAE) – e por Babette Dieu – coordenadora do Cannes Docs – para participar do festival no sul da França, Yolanda falará sobre diversidade e inclusão em todos os níveis da indústria audiovisual.”

  [Tela Viva]

Combinar dados reais com histórias e personagens interessantes é o desafio das produções de 'ficção climática'

“’O audiovisual que inspira e traz uma nova perspectiva, ao meu ver, é a melhor ferramenta para isso. Somados a isso, é importante tentarmos falar com todos, e não eleger apenas um. Temos que tentar falar com religiosos e a comunidade LGBTQI+, com a direita e com a esquerda, com progressistas e conservadores. Por isso a importância de entender o real significado do entretenimento de impacto, impacto não é prêmio, não é uma crítica positiva, ou um elogio de um cineasta importante. Impacto é audiência’, analisa Estela Renner, roteirista, cineasta, showrunner e sócia-fundadora da Maria Farinha Filmes, em entrevista exclusiva para TELA VIVA.”

  [Tela Viva]

Maria Farinha Filmes é a produtora da América Latina selecionada para o EAVE+

“Luana Lobo e Mariana Oliva foram as selecionadas da América Latina para o evento. Além disso, contam com o apoio do Projeto Paradiso, que visa impulsionar o crescimento profissional dos talentos do setor audiovisual atuando na capacitação, no apoio a roteiros e desenvolvimento de projetos de ficção. ”

  [Tela Viva]

Há esperança por equidade no audiovisual brasileiro?

“Historicamente, as mulheres têm sido sub-representadas no audiovisual nacional. A assimetria e o desequilíbrio são ainda maiores quando vemos as oportunidades desiguais entre mulheres brancas, negras, indígenas, trans, PcD. E, em muitos casos, muitas mulheres enfrentam violências como sexismo, assédio e discriminação de gênero. De acordo com o “Censo da Indústria Brasileira de Audiovisual” de 2019, as profissionais representam cerca de 42,7% da força de trabalho do setor audiovisual e, ainda assim, são minoria em cargos de liderança.”

  [Tela Viva]

Chef e escritora, Bela Gil e Maria Farinha Filmes em parceria

“A apresentadora, ativista, chef e escritora Bela Gil agora é, também, parceira criativa de uma trilha de projetos da Maria Farinha Filmes, especialista em entretenimento de impacto, que inclui reality show, documentário e ficção. Bela participa de todas as etapas de criação, a fim de lançar projetos para diversas audiências em parceria com a produtora.”

  [Grandes Nomes da Propaganda]

Maria Farinha Filmes e Bela Gil fecham parceria criativa

“A chef, apresentadora e escritora Bela Gil fechou uma ‘parceria criativa’ para uma trilha de projetos da Maria Farinha Filmes. Com isso, Bela participará de todas as etapas de criação, a fim de lançar projetos para diversas audiências em parceria com a produtora.”

  [PROPMARK]

Bela Gil desenvolve projetos de documentário e reality

“Nova integrante do “Saia justa”, do GNT, Bela Gil desenvolve projetos em parceria com a produtora Maria Farinha Filmes: um reality de sobrevivência e um documentário sobre a exploração sofrida por mulheres.”

  [O Globo]

Artigo: ‘Estou parando de usar ouro a partir de hoje’

“A atriz Débora Falabella fala sobre o drama dos índios que vivem em terras invadidas por garimpeiros, rios contaminados por mercúrio, matas sem caça e comunidades vítimas de violência. De repente, olha para a câmara e diz: “Estou parando de usar ouro a partir de hoje, porque a minha riqueza é de outra ordem” — e vai tirando seus brincos e anéis em protesto à tragédia indígena. A cena da série “Aruanas” (produção da Globo para o Globoplay, em coprodução com a Maria Farinha Filmes), que foi ao ar em junho de 2020, mostra a indignação da jornalista Natalie Lima Melo, personagem vivida por Débora Falabella. A ficção, infelizmente, não poderia ser mais atual.”

  [O Globo]

Série de 2019 que 'antecipou' tragédia yanomami viraliza na internet

“Lançada em 2019 no GloboPlay e exibida em 2020 pela TV aberta, na Globo, a primeira temporada de “Aruanas” voltou à tona por força do noticiário vindo de Roraima. Trechos da produção da Maria Farinha Filmes têm viralizado na internet, apontando para a tragédia anunciada dos Yanomamis.

No enredo criado por Marcos Nisti e Estela Renner, quatro ativistas representadas por Leandra Leal, Thainá Duarte, Thais Araújo e Débora Falabella encaram um poderoso empresário vivido por Luiz Carlos Vasconcelos, que investe no garimpo ilegal na Amazônia, em busca de ouro.”

  [Folha de São Paulo]

Cena 'ballroom' do Rio de Janeiro será tema de série documental no Globoplay

“A cena “ballroom” do Rio de Janeiro será o tema da série documental “Segura Essa Pose”, que o Globoplay e a produtora Maria Farinha Filmes já começaram a gravar e deverá ser lançada no ano que vem. O movimento nasceu em meados dos anos 1970 em Nova York, criado pela comunidade LGBTQIA+, negra e latina como forma de expressão artística e união contra a discriminação.”

  [Folha de São Paulo]

Trajetória de Daiane dos Santos vai virar filme

“A vida de Daiane dos Santos será contada em um filme inédito, ainda em desenvolvimento pela produtora Maria Farinha Filmes. O longa, ambientado na década de 90, vai mostrar a história da ginasta, descoberta em um parquinho, que se tornou a primeira negra a subir no lugar mais alto do pódio na modalidade solo.”

  [O Globo]

Livro 'Copo Vazio', de Natalia Timerman, vai virar filme

“O livro “Copo Vazio” (editora Todavia), da escritora e psiquiatra Natalia Timerman, vai virar filme. A produtora Maria Farinha Filmes adquiriu os direitos do romance que fala sobre “ghosting” (quando uma pessoa some de um relacionamento amoroso sem dar qualquer satisfação).
Na história, Mirela é uma mulher bem-sucedida que se apaixona por Pedro e fica desnorteada quando, após três meses juntos, ele desparece da vida dela sem dar explicações.”

  [Folha de São Paulo]

Na ONU, indígenas e empresas buscam criar soluções sustentáveis com trilha sonora de Alok

“Instituto Alok e o Pacto Global da ONU no Brasil realizam em Nova York o evento “O Futuro é Ancestral”, encontro que ocorrerá em 16 de setembro no prédio da Organização das Nações Unidas durante a Assembleia Geral das Nações Unidas. No evento, empresas, instituições e especialistas irão compor um painel de diálogo sobre como a indústria do entretenimento pode contribuir para a ressignificação do imaginário sobre a identidade dos povos originários e sua importância para a co-criação de um futuro justo e sustentável, no contexto das soluções para a crise climática – um dos principais desafios do nosso tempo.”

[Exame]

Último episódio de 'O Som do Rio' estreia no Dia Internacional dos Povos Indígenas

“Nesta terça-feira, 9 de agosto, Dia Internacional dos Povos Indígenas, foi ao ar o quarto e último episódio de “O Som do Rio”, série exclusiva do YouTube produzida pela Maria Farinha Filmes. Após Thelma Assis, Vitor diCastro e Lenine viajarem ao longo do Rio Tapajós, guiados pela ativista indígena Val Munduruku e pela artista e ativista socioambiental Maria Gadú, eles chegam ao último episódio, embalados por uma canção inédita criada e produzida por Gadú, ao longo do percurso do rio.”

  [Tela Viva]

‘Esperanza’ Environmental Activism Brazilian Scripted Series In Works At Participant

“US-based Participant is developing scripted series Esperanza as co-production with Brazilian activist production company Maria Farinha Films. The adventure drama follows the crew of the vessel Esperanza as they fight for environmental and social rights around the world.
The series was created and written by Maria Farinha Films co-founders Estela Renner and Marcos Nisti (Aruanas), who serve as showrunners alongside Fernando Meirelles (The Two Popes). Meirelles will also direct”

  [DEADLINE]

Maria Farinha Filmes fará coprodução internacional com a californiana Participant

“A Participant, produtora californiana comprometida em produzir entretenimento misturando arte e ativismo com temas socialmente relevantes, e a Maria Farinha Filmes, uma das principais produtoras de entretenimento de impacto na América Latina, irão coproduzir a série “Esperanza”. A saga de ficção acompanha a corrida contra o tempo de um grupo de ativistas ambientais em suas ações pelo mundo.”

[Tela Viva]

'O Som do Rio', série do YouTube produzida pela Maria Farinha, ultrapassa quatro milhões de views

“Completando um mês de seu lançamento, “O Som do Rio” já soma mais de quatro milhões de visualizações nos três episódios disponíveis no YouTube. A série, exclusiva do YouTube e produzida pela Maria Farinha Filmes, traz Val Munduruku (foto), ativista indígena, e Maria Gadú, artista e ativista socioambiental, em uma viagem de conhecimento e descoberta pelo Rio Tapajós, no Pará.”

  [Tela Viva]

Encontro com Alok e líderes indígenas debate urgência de demarcar terras

“Antes do Brasil da coroa, existe o Brasil do cocar’, alertou, sob aplausos, Celia Xakriabá, no final do encontro que foi batizado com este mesmo nome e reuniu a líder indígena, o cacique Mapu Huni Kuî e o produtor musical e DJ Alok, mediado por Marcos Nisti, da Maria Farinha Filmes. A urgência em compreender o passado, as tradições e a sabedoria dos povos originários norteou todo o painel, que integrou a programação do Rio2C, o maior evento de inovação e criatividade da América Latina, realizado entre os dias 26 de abril e 1º de maio na Cidade das Artes, na Barra”

  [Veja Rio]

Maria Gadú e Val Munduruku lançam série sobre Amazônia. Confira trailer

A série, exclusiva do YouTube, é criada e produzida por Maria Gadú, Estela Renner e Marcos Nisti, e tem o objetivo de chamar a atenção para a urgência em frear os impactos ambientais na região.

A nova série exclusiva do YouTube, O Som do Rio, que estreia em junho deste ano, traz Val Munduruku, ativista indígena, e Maria Gadú, artista e ativista socioambiental, em uma viagem de conhecimento e descoberta pelo Rio Tapajós ao lado de convidados. O trailer de “Som do Rio” foi lançado nesta quarta-feira (27).

[Mídia Ninja]

Confira o trailer de série criada por Maria Gadú para o Youtube

A coluna traz em primeira mão o trailer de “O Som do Rio”, produção original do Youtube sobre as riquezas da floresta amazônica e a necessidade de se repensar os impactos ambientais na região. A série é criada e produzida por Maria Gadú, Luana Lobo, Mariana Oliva, e Estela Renner e Marcos Nisti, showrunners de “Aruanas”.

Com estreia prevista para junho, a série em quatro episódios é conduzida por Maria Gadú e pela ativista indígena Val Munduruku. Elas convidam personalidades como a médica e apresentadora Thelma Assis, o cantor e compositor Lenine e o influenciador Vítor DiCastro a se desconectarem das metrópoles e embarcarem em uma jornada de transformação.

[Folha de São Paulo]

‘Queremos criar uma onda de produções sobre meio ambiente’

Cocriador e produtor da série “Aruanas”, sobre uma ONG que investiga crimes ambientais, Marcos Nisti quer inspirar uma onda de produções engajadas com causas sociais no entretenimento brasileiro. Em entrevista ao Nexo, o cofundador da produtora Maria Farinha Filmes disse que esse movimento deve ser acompanhado por práticas trabalhistas melhores na indústria do audiovisual: “Não adianta falar de direitos humanos e fazer um funcionário trabalhar 14 horas por dia”.

  [Nexo]

'Aruanas': Taís Araújo, Leandra Leal e Débora Falabella falam da estreia de segunda temporada

Na segunda temporada de “Aruanas”, administrar os conflitos da vida pessoal com a vida ativista ficou ainda mais difícil para Luiza, Verônica e Natalie, que arriscaram tudo pelas causas ambientais.

A história da segunda temporada é inspirada em fatos reais. A cidade fictícia de Arapós, é Cubatão (SP), que na década de 1980 ficou conhecida como Vale da Morte. Toneladas de gases tóxicas das indústrias lançadas na atmosfera diariamente trouxeram consequências terríveis para a saúde da população, como nascimentos de crianças com malformações.

[Fantástico | Globo]

Pedido de CPI contra ONGs conecta noticiário à ficção de 'Aruanas'

A Globo construiu um tripé de séries que sintetiza os serviços públicos mais essenciais à população: “Carcereiros”, sobre segurança pública, “Sob Pressão”, sobre saúde, e “Segunda Chamada”, sobre educação. Mas um quarto tema, infelizmente ainda visto sob condições de longo prazo e sem tanta urgência pela população, veio se juntar a esse conjunto, de forma a mostrar sua urgência: é o meio ambiente de “Aruanas”, que acaba de chegar à 2ª temporada no GloboPlay.

[Folha de São Paulo]

'Aruanas': Segunda temporada traz novos personagens, nova ambientação e discute a poluição urbana

Na história, o personagem de Lima Duarte, Mauro, faz um protesto de grande repercussão na cidade fictícia de Arapós. O ato é o estopim para que as mulheres à frente da ONG Aruana dêem início a uma investigação. Nesta segunda parte da série, as ativistas Natalie (Débora Falabella), Luiza (Leandra Leal), Verônica (Taís Araújo) e Clara (Thainá Duarte) enfrentam a poluição urbana — na primeira temporada, o quarteto combateu crimes ambientais na Amazônia.

  [O Globo]

'Aruanas' volta ao Globoplay nesta quinta e nova temporada discute uso de combustíveis fósseis

A partir desta quinta-feira, 25/11, a série Aruanas está de volta ao Globoplay. Neste novo ciclo, as ambientalistas Natalie (Débora Falabella), Luiza (Leandra Leal), Verônica (Taís Araújo) e Clara (Thainá Duarte) vão enfrentar um problema que está ao redor de grande parte de nós: a poluição do ar e os riscos ambientais gerados pela queima de combustíveis fósseis. “Hoje, 95% das crianças respiram um ar poluído, 7 milhões de pessoas morrem por ano de causas indiretas ligadas à poluição do ar”, diz Estela Renner, criadora da série ao lado de Marcos Nisti, sobre as inspirações para a nova temporada.

[Estadão]

“Por Uma Educação Antirracista”: minissérie do GNT propõe mudanças nas práticas educacionais

Você sabe como educar crianças contra o racismo? Foi pensando em ajudar pais e sociedade como um todo nessa missão que a minissérie “Por Uma Educação Antirracista” foi criada. Idealizada pelo Instituto Alana e produzida pela Maria Farinha Filmes, a produção estreou nesta segunda-feira, 11, no YouTube do GNT, e convida negros, indígenas, orientais e brancos de todas as idades a se engajarem e modificarem as práticas educacionais para uma perspectiva antirracista

  [Revista Crescer]

'Aruanas' volta ao Globoplay nesta quinta e nova temporada discute uso de combustíveis fósseis

Estela e Marcos contam que desenvolver uma narrativa ficcional com plano de fundo de questões ambientais é uma das maneiras de conversar com o grande público sobre temas que são caros para todo mundo. “Nossa forma de conduzir nossos conteúdos vem muito do que é mais urgente, e uma pauta em comum é o aquecimento global“, diz Estela sobre a escolha da temporada. A Maria Farinha, produtora em que eles trabalham, que divide a produção de Aruanas com os Estúdios Globo, nasceu “para criar entretenimento com impacto social”.

[Estadão]

Lima Duarte comove set de 'Aruanas': 2ª temporada chega ao GloboPlay

Tendo a Amazônia como cenário da 1ª temporada, a produção da Maria Farinha Filmes agora foca na poluição do ar, mal que acomete 76% da população vive em grandes metrópoles no Brasil e 92% da população mundial.

[Folha de São Paulo]

Maria Farinha Filmes e Flow Impact são premiadas no WEPs Brasil 2021 – Empresas Empoderando Mulheres

Criada e escrita por Estela Renner e Marcos Nisti, com a colaboração de Carolina Kotscho, “Aruanas” tem na direção-geral André Felipe Binder.

Trata-se de uma série original Globoplay, desenvolvida pelos Estúdios Globo, em coprodução com a Maria Farinha Filmes.

A primeira temporada, com um alerta sobre a Amazônia, envolveu um grande investimento e teve lançamento global em mais de 150 países.

[Tela Viva]

Alok produz primeiro álbum autoral e série, imerso em raízes indígenas

Na série, feita em parceria com a produtora Maria Farinha Filmes, ele percorrerá musicalmente a jornada dos ativistas indígenas: Célia Xakriabá, Kunumi MC, Mapu Huni Kuin e Tashka Yawanawa. Alok também vai trocar vivências com lideranças musicais dos povos Kariri-Xocó, Huni Kuin, Yawanawa e Guarani

[UOL]

Coprodução internacional entre Maria Farinha Filmes e Rota6 Films tem première em Nova York

“Um Lugar Para Todo Mundo”, documentário que investiga a importância de garantir uma educação Inclusiva para todas as crianças, foi selecionado para a abertura do Human Rights Watch Film Festival de Nova York (HRWFF). O filme será exibido no Festival nesta quarta-feira, 19 de maio, com transmissão digital nos Estados Unidos. O HRWFF tem como foco apresentar obras que retratam a luta pelos direitos humanos. Em seus 30 anos de existência, já exibiu mais de 720 filmes. “Um Lugar Para Todo Mundo” é uma coprodução da Maria Farinha Filmes e da estadunidense Rota6 produzida a partir da seleção no Edital Videocamp 2018 –  iniciativa do Alana.

 

[ Tela Viva]

Astro internacional será vilão em segunda temporada da série “Aruanas”

Criada e escrita por Estela Renner e Marcos Nisti, com a colaboração de Carolina Kotscho, “Aruanas” tem na direção-geral André Felipe Binder.

Trata-se de uma série original Globoplay, desenvolvida pelos Estúdios Globo, em coprodução com a Maria Farinha Filmes.

A primeira temporada, com um alerta sobre a Amazônia, envolveu um grande investimento e teve lançamento global em mais de 150 países.

[R7]

Documentário sobre síndrome de Down e educação inclusiva abrirá festival em NY
``Um Lugar para Todo Mundo`` é coproduzido pela brasileira Maria Farinha Filmes

O documentário “Um Lugar para Todo Mundo”, coproduzido pela Maria Farinha Filmes e pela estadunidense Rota6 Films, foi selecionado para a abertura do Human Rights Watch Film Festival, que ocorre em Nova York (EUA), na quarta (19).

INCLUSÃO

O longa acompanha a saga de Hilda e Oliver Bernier em busca de uma educação inclusiva e de qualidade para seu filho nascido com síndrome de Down. O filme foi financiado pela organização Alana.

[ Folha de São Paulo]

Maria Farinha Filmes aposta em formatos digitais com a instasérie ``TINIs

A Maria Farinha Filmes – produtora audiovisual que desenvolve conteúdos com o objetivo de provocar transformações e engajamento, alinhados aos Global Goals da ONU – está criando narrativas digitais ligadas às novas formas de se consumir conteúdo. A instasérie “TiNis” – uma iniciativa de Gisele Bündchen e do Instituto Alana, criada pela Maria Farinha Filmes – sobre como as famílias podem mudar seus hábitos em busca de um mundo mais sustentável e aproximar as crianças do contato com a natureza, já conta com mais de seis milhões de visualizações. O projeto, que é publicado no perfil de Gisele e vai ao ar no programa “É de Casa”, da Globo, todo sábado, é totalmente pensado para visualização no Instagram

[ Tela Viva]

Documentários brasileiros vão ser derrotados em TV estatal chinesa

“O Começo da Vida” e “O Começo da Vida 2: Lá Fora” vão ser eliminadas, no segundo semestre, na CCTV, a maior rede de TV pública da China.

Lançado em 2016, “O Começo da Vida” faz uma análise profunda sobre os primeiros dias da vida de um recém-nascido e sua importância para o desenvolvimento humano. O documentário dirigido por Estela Renner foi o mais visto nos cinemas brasileiros no ano do lançamento.

O GLOBO]

Nova temporada de 'Aruanas' se passará no pós-pandemia

A segunda temporada de “Aruanas” se passará depois da pandemia, num cenário em que a vida já terá voltado “ao normal”. Os diálogos mencionarão o coronavírus. Autores da trama, Estela Renner e Marcos Nisti tiveram que fazer adaptações nos textos. Lima Duarte e o português Joaquim de Almeida, escalados para papéis importantes, já foram vacinados e, por ora, estão garantidos no elenco.

[ O GLOBO]

'Amor de Mãe' dá espaço a nova reprise e agravamento da pandemia preocupa TV

“Para além da pandemia, vivemos um estrangulamento do setor audiovisual, com uma drástica redução do fluxo de investimento e de novos editais”, afirma ainda Mariana Oliva, CEO da Maria Farinha Filmes, destacando a cronicidade da atual estagnação.

[ Folha de São Paulo]

Autores de 'Aruanas' vão fazer série para o mercado internacional

Autores de “Aruanas”, Estela Renner e Marcos Nisti farão uma série em inglês para o mercado internacional. A empresa deles, Dare to Dream, foi contratada por uma produtora norte-americana para desenvolver uma história cujo pano de fundo, assim como na produção da , será o ativismo socioambiental. O projeto contará com a parceria de uma ONG importante.

[O GLOBO]

Gisele Bündchen estreia série para crianças sobre relação com a natureza

Ter contato com a natureza desde cedo é fundamental. Esse é o lema das TiNis , espaços em escolas, apartamentos ou quintais – qualquer área com três vasos de plantas ou meio metro quadrado de canteiro – para que crianças e adolescentes tenham uma experiência. Quem criou o projeto em 1995 foi o peruano Joaquín Leguía, que já viajou a países como a Bolívia, Indonésia e Japão para divulgar uma iniciativa. Apoiadora das TiNis, a modelo Gisele Bündchen firmou uma parceria com o Instituto Alana com o objetivo de propagar o método pelo Brasil.

 

[ Veja São Paulo]

O começo da Vida 2: Qual é o “Lá fora” que queremos?

Por Estela Renner e Marcos Nisti “Hey Senhor, o que você quer dizer com ‘Que mundo maravilhoso’? E todas aquelas guerras em todo o lugar? Você chama isso de maravilhoso? E quanto à fome e à poluição? Isso não é tão maravilhoso também”. Palavras da introdução falada de “What A Wonderful World”, na voz do lendário Louis Armstrong, às quais ele mesmo responde: “Me parece, não é o mundo que é tão ruim. Mas o que estamos fazendo para ele. E tudo que estou dizendo é: veja que mundo maravilhoso seria se apenas lhe dermos uma chance.” Como produtores de conteúdo, trabalhamos com o imaginário, com a criação de novos cenários, e acreditamos que é preciso ser responsável com a imagética do futuro onde queremos chegar, potencialmente maravilhoso.

[ TelePadi]

‘Me liga na lata’ mostra o Brasil a partir das falas das crianças

Uma latinha conectada à outra por um barbante transforma-se num telefone sem fio. A brincadeira, antiga e pouco praticada no hoje em dia das tecnologias, foi recuperada na série documental “Me liga na lata” com a intenção de aproximar crianças de diferentes regiões brasileiras e, assim, conhecer como elas vivem e o que mais gostam de fazer no tempo livre.

[LUNETAS]

Me Liga Na Lata: série infantil mostra a cultura de vários pontos do Brasil pelo olhar da criança!

Lembra daquele telefone feito com latas e barbante? Ele é a inspiração para uma série que vai mostrar como as crianças se divertem em diferentes partes do nosso país! A série documental infantil, Me Liga Na Lata, apresenta a cultura de várias regiões do Brasil pelo olhar das crianças.

[ SP PARA CRIANÇAS]

O sempre indiscutível talento do ator brasileiro

No próximo dia 10, estreia no CineBrasil TV a série documental infantil “Me Liga Na Lata”, uma iniciativa do Território do Brincar e Instituto Alana, com produção da Maria Farinha Filmes.

Em 13 episódios, a produção visita comunidades indígenas, quilombolas, do sertão, do litoral e de grandes centros urbanos, conectando crianças de 8 Estados brasileiros a um telefone de lata, fio condutor na hora de levar a cultura de uma região a outra de forma simples e divertida.

[ FLAVIO RICCO – R7]

Série documental infantil, Me Liga Na Lata, apresenta crianças de diferentes regiões do Brasil como protagonistas de sua própria cultura

Em 13 episódios, de até 26 minutos de duração, “Me Liga Na Lata” visita comunidades indígenas, quilombolas, do sertão, do litoral e de grandes centros urbanos nos Estados do Espírito Santo, Ceará, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, São Paulo e Paraná, conectando crianças de cada local a um telefone de lata, fio condutor na hora de levar a cultura de uma região a outra de forma simples e divertida, que só os pequenos conseguem.

[ NEO MONDO]

``Me Liga Na Lata`` apresenta crianças de diferentes regiões do Brasil como protagonistas de sua própria cultura

No dia 10 de janeiro, às 21h30, estreia no CineBrasil TV a série “Me Liga Na Lata”, projeto fruto do programa Território do Brincar e sua jornada de anos de imersão em diversos locais do Brasil, para registrar os gestos e expressões infantis e apresentar um país sob o olhar das crianças.

[ TELA VIVA]

Jane Goodall: 'Change is happening. There are many ways to start moving in the right way'

Jane Goodall is a primatologist who is regarded as one of the world’s leading authorities on chimpanzees. She has spent 60 years studying the chimps that live in the Gombe Stream national park and she is a prominent advocate, via several foundations, of protecting the great apes and their habitats. She has been presented with awards by the UN and various governments for her conservation and environmental work. She appears in the Netflix documentary The Beginning of Life 2.

[ THE GUARDIAN]

5 motivos para assistir ao filme ``O Começo da Vida 2: Lá Fora``

Você com certeza já ouviu a famosa expressão “criança de apartamento”. Talvez até tenha sido uma delas. Quem tem mais de 40 anos, como eu, ainda lembra de como era brincar na rua – com liberdade e mais segurança. Mesmo assim, crescer em grandes centros urbanos sempre foi sinônimo de ver mais concreto do que verde.

[ BELLA MAIS ]

‘O Começo da Vida 2: Lá Fora’: confira teaser exclusivo e entrevista com a diretora

Quatro anos depois de o documentário ‘O Começo da Vida’ fazer sucesso nas telonas explorando a importância do primeiro ano de vida dos bebês, a sequência ‘O Começo da Vida 2: Lá Fora’ chega à Netflix nesta quinta (12) abordando o impacto da natureza no desenvolvimento das crianças.

[ CRESCER ]

Pediatras apoiam novo documentário da Netflix sobre saúde infantil e contato com a natureza

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é parceira na produção do documentário “O Começo da Vida 2: Lá fora”, que será lançado globalmente na plataforma Netflix, no próximo dia 12 de novembro. O material foi idealizado e produzido pela Maria Farinha Filmes, Instituto Alana e Fundação Boticário, e tem como proposta passar a mensagem de como a falta de contato cotidiano com a natureza afeta a vida das crianças: sua saúde, seu desenvolvimento integral e a possibilidade de sonhar um futuro mais próspero para si e para o planeta.

[ SPB ]

Jane Goodall: “Se lo hemos puesto fácil al coronavirus”

Los niños han de poder disfrutar plenamente de la naturaleza como una vía indispensable para forjar su carácter y también como un derecho inalienable, pues es fundamental para su salud física y emocional. Lo sostiene la primatóloga Jane Goodall, la gran especialista mundial en chimpancés ―y que desde luego de la naturaleza y de su inmersión en ella sabe un rato― en un documental, El comienzo de la vida 2: La naturaleza (O começo da vida 2: Lá fora).

[ EL PAÍS ]

Maria Farinha Filmes lança ``O Começo da Vida 2: Lá Fora``

A partir desta quinta-feira, dia 12 de novembro, chega a 190 países por meio da Netflix “O Começo da Vida 2: Lá Fora”, idealizado e produzido pela Maria Farinha Filmes em parceria com o Instituto Alana e a Fundação Gripo Boticário com direção de Renata Terra.

[ TELA VIVA ]

‘Começo da Vida 2’ impacta ao mostrar o poder da natureza na infância

O lançamento do documentário em meio a pandemia ajuda a repensar as consequências da ausência do verde na vida das crianças.

[ BEBE ABRIL]

Filme 'O Começo da Vida 2', de Renata Terra, será disponibilizado em pré-estreia nesta quinta (22)

Produzido pela Maria Farinha Filmes, em parceria com o Instituto Alana e a Fundação Grupo Boticário, o longa discute um futuro sustentável a partir da conexão entre crianças e a natureza. A obra tem apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

[ FOLHA DE SÃO PAULO ]

Doc nacional O Começo da Vida 2 aborda relação com a natureza

Confira com exclusividade o trailer de O Começo da Vida 2 – Lá Fora.

[ CINECLICK ]

‘O Começo da Vida 2: Lá Fora’ – filme fala da reconexão com a natureza

Em uma viagem pelo mundo, documentário ouviu os maiores especialistas para falar sobre as consequências que a falta de contato com a natureza tem provocado

[ CANGURU NEWS]

Debatedoras falam sobre importância da consciência de gênero entre parlamentares eleitas

Além do estudo, foi lançada uma serie audiovisual de três episódios com entrevistas realizadas pela America latina. O material, produzido pela Maria Farinha Filmes, o Instituto Update e o Quebrando o Tabu com coprodução Spray Contente, tem a participação da cantora Anitta. A íntegra pode ser acessada no YouTube do Quebrando o Tabu.

[ FOLHA DE SÃO PAULO ]

Pragmatismo é uma das marcas de mulher na política, diz estudo

Levantamento mostra que Brasil está atrás de outros países da América Latina em representação feminina.

[ FOLHA DE SÃO PAULO ]

Com Anitta, série Eleitas - Mulheres na política estreia no YouTube

A série Eleitas – mulheres na política estreou nesta terça-feira (21/7) no canal do Quebrando o Tabu no YouTube. A produção mostra a importância da presença de mulheres ao ocupar posição de poder e quão transformador pode ser abrir espaço para novas visões e vivências.

[ CORREIO BRAZILIENSE ]

Folha realiza seminário sobre participação feminina na política

A partir desta terça-feira, dia 21 de junho, a série “Eleitas – Mulheres na Política, coproduzida pelo Instituto Update, Quebrando o Tabu, Maria Farinha Filmes e Spray Content estreia no canal do YouTube do Quebrando o Tabu. A partir do dia 28 de julho, ela poderá ser vista também na plataforma online gratuita Videocamp.

[ TELA VIVA ]

``Eleitas - Mulheres na Política``

Nesta terça-feira estreia no canal do YouTube do “Quebrando o Tabu” a série “Eleitas – Mulheres na Política”, feita pela Marinha Farinha Filmes. A produção, que mostra a urgência da presença de mulheres em espaços de poder, conta com participação da cantora Anitta e apresentação da cientista social Beatriz Pedreira. O trabalho foi realizado de forma totalmente on-line.

[ R7 ]

Nesta terça-feira estreia no canal do YouTube do Quebrando o Tabu a série Eleitas – Mulheres na Política, feita pela Marinha Farinha Filmes.

A produção, que mostra a urgência da presença de mulheres em espaços de poder, conta com participação da cantora Anitta e apresentação da cientista social Beatriz Pedreira. O trabalho foi realizado de forma totalmente on-line.

[ CORREIO DO BRASIL ]

Folha realiza seminário sobre participação feminina na política

Será exibido durante o webinário um trecho da serie “Eleitas: Mulheres na Política”, produzida pela Maria Farinha Filmes, o Instituto Update e o Quebrando o Tabu, com coprodução Spray Contente. Com 3 episódios, a série entra no ar no YouTUbe do Quebrando o Tabu após o debate.

[ Folha de São Paulo ]

Live - Preservação Ambiental

A primeira temporada de ‘Aruanas’ chega ao fim hoje terça-feira dia 30, logo após a novela ‘Fina Estampa’. O último episódio fecha o ciclo de dois meses nos quais a saga das destemidas ativistas ambientais ocupou semanalmente o lar dos brasileiros, levando uma mensagem de preservação do meio ambiente e da vida.

[ REVISTA ECOLÓGICO ]

Aruanas encerra primeira temporada com recorde de audiência

Coproduzidas pelo Instituto Update, Maria Farinha Filmes e GloboNews, as séries “Política: Modo de Usar” e “Política: Modo de Fazer” estão disponíveis gratuitamente para serem assistidas online na plataforma Videocamp até o dia 31 de julho.

[ TELA VIVA ]

Criadores de “ Aduanas” falam sobre “dramaturgia ativista”

Quem compareceu diante de “Aruanas”, série que fez carreira de um ano no streaming do Globoplay e desembarcou na Globo há exatas dez semanas talvez não conheça o DNA dessa história que não se acanha em trabalhar uma dramaturgia declaradamente ativista, ao contrário, faz disso um propósito, com orgulho, por meio da produtora Maria Farinha Filmes.

[ GSHOW ]

Na reta final, os autores Marcos Nisti e Estela Renner fazem um balanço da temporada

A primeira temporada de ‘Aruanas’ chega ao fim hoje terça-feira dia 30, logo após a novela ‘Fina Estampa’. O último episódio fecha o ciclo de dois meses nos quais a saga das destemidas ativistas ambientais ocupou semanalmente o lar dos brasileiros, levando uma mensagem de preservação do meio ambiente e da vida.

[ ARTCULT ]

Aruanas encerra primeira temporada com recorde de audiência

A primeira temporada da série Aruanas chegou ao fim na última terça-feira (30) alcançando sua maior audiência, empatada com o episódio de estreia. A produção ganhou uma segunda temporada, mas a equipe não sabe quando gravações vão voltar a acontecer.

[ UOL ]

Criadores de “ Aduanas” falam sobre “dramaturgia ativista”

Quem compareceu diante de “Aruanas”, série que fez carreira de um ano no streaming do Globoplay e desembarcou na Globo há exatas dez semanas talvez não conheça o DNA dessa história que não se acanha em trabalhar uma dramaturgia declaradamente ativista, ao contrário, faz disso um propósito, com orgulho, por meio da produtora Maria Farinha Filmes.

[ GSHOW ]

Na reta final, os autores Marcos Nisti e Estela Renner fazem um balanço da temporada

A primeira temporada de ‘Aruanas’ chega ao fim hoje terça-feira dia 30, logo após a novela ‘Fina Estampa’. O último episódio fecha o ciclo de dois meses nos quais a saga das destemidas ativistas ambientais ocupou semanalmente o lar dos brasileiros, levando uma mensagem de preservação do meio ambiente e da vida.

[ ARTCULT ]

Aruanas encerra primeira temporada com recorde de audiência

A primeira temporada da série Aruanas chegou ao fim na última terça-feira (30) alcançando sua maior audiência, empatada com o episódio de estreia. A produção ganhou uma segunda temporada, mas a equipe não sabe quando gravações vão voltar a acontecer.

[ UOL ]

Thainá Duarte lança projeto contra violência doméstica: 'Tema que mulheres vivenciam todos os dias'

Clara não é só mais uma personagem marcante no currículo de Thainá Duarte. Ela é muito mais. Em Aruanas, a ativista ambiental – que trabalha ao lado das três protagonistas e sofre com a perseguição de um ex-namorado – abriu um mundo novo para atriz com discussões que transcedem a trama.

[ GSHOW ]

Protagonista de Aruanas, Taís Araújo fala sobre a importância da série nos dias de hoje

Sucesso no GloboPlay e agora na TV aberta, a série Aruanas aborda as questões e os crimes ambientais na Amazônia. Protagonizada por mulheres, a TV Globo acertou em cheio na exibição, em meio à pandemia do novo coronavírus. A série caiu no gosto do público e traz um ar de conscientização durante o período que os brasileiros estão enfrentando, além do Covid-19, tivemos recentemente as queimadas e desmatamento da maior floresta tropical do mundo.

[ CARAS ]

Figurinista de 'Aruanas' detalha looks das personagens de Camila Pitanga e Taís Araujo

Quem está acompanhando a exibição de Aruanas na Globo, com certeza já ficou de olho nos figurinos de Olga (Camila Pitanga) e Verônica (Taís Araujo), né?! Apesar de serem antagonistas na trama, as duas personagens arrasam quando o assunto é estilo. Pensando nisso, batemos um papo com o figurinista Cassio Brasil, responsável pela série, para entender como foi o processo de construção do estilo das duas personagens.

[ GSHOW ]

‘Um crime entre nós’ retrata um tema tabu no Brasil: a violência sexual contra crianças da qual ninguém quer falar

Enquanto o Brasil acompanha, atento, o avanço da pandemia de covid-19, crescem no país os números de uma outra epidemia que se arrasta há décadas, mas continua invisível. A cada hora, quatro meninas brasileiras de até 13 anos são estupradas, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. A maior parte das vítimas tem até 5 anos de idade. 90% desses casos de violência acontecem em casa, e 72% das testemunhas não denunciam.

[ EL PAÍS ]

Protagonista de Aruanas, Taís Araújo fala sobre a importância da série nos dias de hoje

Sucesso no GloboPlay e agora na TV aberta, a série Aruanas aborda as questões e os crimes ambientais na Amazônia. Protagonizada por mulheres, a TV Globo acertou em cheio na exibição, em meio à pandemia do novo coronavírus. A série caiu no gosto do público e traz um ar de conscientização durante o período que os brasileiros estão enfrentando, além do Covid-19, tivemos recentemente as queimadas e desmatamento da maior floresta tropical do mundo.

[ CARAS ]

Figurinista de 'Aruanas' detalha looks das personagens de Camila Pitanga e Taís Araujo

Quem está acompanhando a exibição de Aruanas na Globo, com certeza já ficou de olho nos figurinos de Olga (Camila Pitanga) e Verônica (Taís Araujo), né?! Apesar de serem antagonistas na trama, as duas personagens arrasam quando o assunto é estilo. Pensando nisso, batemos um papo com o figurinista Cassio Brasil, responsável pela série, para entender como foi o processo de construção do estilo das duas personagens.

[ GSHOW ]

Thainá Duarte, atriz da série 'Aruanas', cria projeto para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica

Em ‘Aruanas’ – série original da Globo para o Globoplay, coproduzida com a Maria Faria Filmes – Clara é estagiária em uma ONG de proteção ambiental. Enquanto se envolve com o ativismo, ela passa a ser perseguida pelo ex-namorado com quem viveu um relacionamento abusivo. Tocada pela repercussão da personagem que interpreta e após uma amiga ser agredida por um ex-companheiro, a atriz Thainá Duarte, de 24 anos, decidiu organizar um projeto contra a violência doméstica.

[ CELINA – O GLOBO ]

Gustavo Vaz e Vitor Thiré falam sobre seus personagens em ‘Aruanas’

Aruanas’ levantou a questão ambiental e a defesa da floresta Amazônica não apenas denunciando as ações ilegais que ocorrem na região, mas sobretudo evidenciando as pessoas que arriscam suas vidas para proteger esse bem precioso: os ativistas ambientais…..

[ ME DIZ ]

Camila Pitanga defende urgência no debate sobre questões ambientais

Na pele da advogada sem escrúpulos Olga, na série Aruanas, da Globo, Camila Pitanga mostra a sua outra face em relação à causa ambientalista fora da TV. Em recente entrevista ao jornal Extra, a atriz falou sobre como surgiu o seu interesse pela pauta.

[ RD1 ]

Cineastas discutem a importância do cinema para a questão ambiental

“Com a crise climática que vivemos, com a velocidade da destruição que testemunhamos, sentimos a necessidade de trazer assuntos reais como devastação, garimpo ilegal, genocídio indígena e exploração sexual infantil”

[ REDE BRASIL ATUAL ]

'A gente não tinha oportunidades como agora', diz ator indígena de 'Aruanas'

Abraão Mazuruna e Kay Sara, atores indígenas que interpretam os personagens Raoni e Payall na série Aruanas, da Globo, falaram sobre a importância da representatividade na TV.

[ ESTADÃO ]

O filme que ninguém quer ver

Diretora reflete sobre fazer um filme que trata de um tema difícil mas necessário: exploração sexual infantil. “Em nosso lugar de privilégio, lidar com a dor do outro é o mínimo”

[ REVISTA GAMA ]

``Episódio de 'Aruanas' repercute na internet``

No documentário Um crime entre nós, da diretora Adriana Yañez, há quem demarque o desinteresse da sociedade frente à brutalidade do tema abuso e exploração sexual infantil. Com estreia no streaming (por próximos seis dias, com acesso livre pelo GNTPlay), o filme esclarece, para além da particularidade de traumas individuais, a dimensão coletiva da problemática: entre as meninas de até 13 anos, quatro serão violentadas (a maioria, menor de cinco anos), a cada hora, e, em 90% das ocorrências, em crimes dentro da família.

[ EXTRA ]

Estela Renner e Marcos Nisti: “As pessoas precisam saber o custo em vidas da extração ilegal do ouro na Amazônia, temos que nos importar com isso”

“A sétima arte que gera impacto” seria um bom título para o trabalho da Maria Farinha Filmes, uma produtora e do núcleo de negócios do Alana, que usa a contação de histórias para propor ideias ou “lembretes” nas pessoas e também, no ecossistema. Um exemplo é a série Aruanas – co-produzida pela Globoplay e está em cartaz na TV aberta -, que mostra como funcionam e trabalham as ONGs em defesa do meio ambiente na Amazônia.

[ AUPA – Jornalismo de Impacto ]

Luiz Carlos Vasconcelos encarna um vilão de múltiplas facetas em Aruanas

Ator dá vida ao personagem Miguel, dono da mineradora KM; episódios vão ao ar às terças-feiras após Fina Estampa.

[ O ESTADO ]

Lançamento de documentário marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de crianças

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual é celebrado em 18 de maio, na próxima segunda-feira. Em tempos de isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, organizações que atuam pela causa estão se mobilizando para campanhas e ações virtuais. Uma delas é o grandioso e aguardado lançamento do documentário Um Crime Entre Nós, produzido e idealizado pela Maria Farinha Filmes, Instituto Liberta e Instituto Alana, com direção de Adriana Yañez.

[ ESTADÃO ]

No dia nacional do combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, plan apoio lançamento do documentário “ Um crime entre nós”

Com participação de Jout Jout, Luciano Huck e Dr. Dráuzio Varella, o filme fala sobre as consequências do silêncio da sociedade e a importância da denúncia. Dados alertam que casos podem aumentar durante a pandemia, confira.

[ PLAN INTERNACIONAL ]

``Um crime entre nós`` traça triste radiografia da exploração sexual infantil

No documentário Um crime entre nós, da diretora Adriana Yañez, há quem demarque o desinteresse da sociedade frente à brutalidade do tema abuso e exploração sexual infantil. Com estreia no streaming (por próximos seis dias, com acesso livre pelo GNTPlay), o filme esclarece, para além da particularidade de traumas individuais, a dimensão coletiva da problemática: entre as meninas de até 13 anos, quatro serão violentadas (a maioria, menor de cinco anos), a cada hora, e, em 90% das ocorrências, em crimes dentro da família.

[ CORREIO BRAZILIENSE ]

Luciano Huck e Dráuzio Varella lutam contra a exploração sexual infantil no doc Um Crime Entre Nós (Exclusivo)

No dia 18 de maio é o Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantil e, o novo documentário brasileiro Um Crime Entre Nós vai abordar justamente esta questão no Brasil.
O longa pretende evidenciar a forma como este crime é invisível e às vezes até natural para boa parte da população no país. O Brasil ocupa a segunda posição no ranking mundial dos casos de exploração sexual infantil.

[ ADORO CINEMA ]

Machismo do ``novinha`` alimenta abuso de crianças, diz Luciana Temer

Os casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes são um elefante na sala das famílias brasileiras: estima-se que 90% dos crimes contra eles acontece no ambiente familiar, conforme apontou levantamento divulgado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos em 2019. No entanto, pouco se fala disso — e parece ser “normal” que os sites de pornografia mantenham vídeos de “novinhas” em práticas sexuais.

[ UOL UNIVERSA ]

Um crime entre nós: documentário sobre abuso sexual infantil terá pré estreia online

Crimes sexuais infelizmente acometem cotidianamente crianças e adolescentes. Para constatar isso, basta uma olhada nas estatísticas e, num sentido complementar, atenção aos dramáticos relatos de meninos e meninas marcados por essas violências abomináveis.

[ PAPO DE CINEMA ]

Uma sociedade que silencia a exploração sexual infantil

Foi na pretensa segurança do seu lar, que ela – ainda pequena – começou a sofrer abuso sexual. Quando não aguentou mais, fugiu de casa. Sem dinheiro e dependendo da ajuda de estranhos, foi parar em uma rede que explora crianças e adolescentes, sobretudo em regiões pobres do Brasil.

[ LUNETAS ]

Dia do Combate ao Abuso de Crianças registra aumento nas denúncias

Hoje, 18 de maio, é o Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Neste ano, a campanha registrou aumento no número de denúncias de violência doméstica contra crianças e adolescentes.

[ CLAUDIA ]

Abuso sexual: Toda história conta

Mais de 50 anos depois do abuso que sofri, o Brasil não tem políticas de proteção à criança e a adolescente eficazes no que se refere à violência sexual.

[ HUFFPOST ]

Isolamento dificulta denúncias de abuso infantil e deve levar a alta de casos, diz especialista

Sem escolas e creches funcionando, crianças e adolescentes que chegavam a passar o dia fora de casa hoje estão isolados. A quarentena, adotada conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a propagação do novo coronavírus, também tem grandes chances de ter causado um aumento dos casos de violência contra crianças e adolescentes.

[ BBC NEWS BRASIL ]

Entrevista especial sobre o filme “Um Crime Entre Nós”

Entrevista especial do Papo de Mãe sobre o filme “Um Crime Entre Nós”. O documentário fala do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil. Participam Luciana Temer, do Instituto Liberta, e a diretora do filme, Adriana Yañez. Um filme da Maria Farinha Filmes em parceria com Instituto Liberta e Instituto Alana.Temos que falar muito sobre isso e denunciar. O Brasil fica em segundo lugar no ranking mundial de exploração sexual infantil.
O documentário está no GNT Play e na plataforma Video Camp. Dia 22 vai ao ar no Canal Futura.

[ PAPO DE MÃE ]

“Um Crime Entre Nós” debate a exploração sexual de crianças no Brasil

Segundo lugar no ranking de países com maior número de ocorrências de exploração sexual infantil, o Brasil somou cerca de 500 mil casos  somente em 2018. Os dados alarmantes, divulgados pela organização internacional Freedom Fund, reforçam a importância do documentário Um Crime Entre Nós, que estreia à meia-noite de hoje para amanhã no canal por assinatura GNT.

[ GAUCHZH ]

Lançamento de documentário marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de crianças

“O Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual é celebrado em 18 de maio, na próxima segunda-feira. Em tempos de isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, organizações que atuam pela causa estão se mobilizando para campanhas e ações virtuais. Uma delas é o grandioso e aguardado lançamento do documentário Um Crime Entre Nós, produzido e idealizado pela Maria Farinha Filmes, Instituto Liberta e Instituto Alana, com direção de Adriana Yañez.”

[ Estadão – Direito da Criança e do Adolescente ]

Em meio a pandemia, 'Aruanas' acerta ao abordar preocupação social e ativismo

Série da Globo protagonizada por mulheres fala do desmatamento da Amazônia. Aruanas foi a atração escolhida pela direção da Globo para substituir a vigésima edição do Big Brother Brasil, que terminou em alta após fazer um sucesso estrondoso nas últimas semanas.

[ CARAS ]

O mergulho e as descobertas de Débora Falabella no ativismo ambiental

Uma das protagonistas da série ‘Aruanas’, da Rede Globo, a primeira cena da atriz na produção foi o assassinato de indígenas na Amazônia.

[ CLAUDIA ]

“ Aruanas” chega à TV aberta no momento em que o desmatamento passa despercebido

“Produtora de “Aruanas”, série que estreia nesta terça-feira (28) na Globo, a Maria Farinha Filmes encomendou à Stillingue, empresa especializada em estudos de comportamento e consumo, uma análise das menções ao título nas redes sociais entre janeiro e março deste ano.”

[ Tele Padi – Folha ]

'Aruanas': making of revela curiosidades das gravações

Em Cari, cidade fictícia do interior do Amazonas, a realidade é dura e fatos estranhos se sucedem: um pedido de socorro anônimo, pessoas adoecendo de forma misteriosa, assassinatos e ameaças aos povos indígenas.

[ GSHOW ]

'O meio ambiente é um fator central na discussão sobre o que erramos', diz Taís Araújo

Quando a Globo, a produtora Maria Farinha Filmes e o estrelado elenco de Aruanas começaram a gravar a série, em 2018, a pandemia ainda era um pesadelo reservado aos livros de ficção científica. Quando a série estreou no Globoplay, em julho de 2019, as páginas dos jornais e os relatos nas redes sociais davam conta do crescimento do desmatamento na Amazônia. Agora, quando a produção chega à TV aberta – nesta terça, 28, na Globo, após a novela Fina Estampa -, a mensagem positiva de um grupo de ambientalistas lutando na linha de frente da preservação do meio ambiente pode ser um refresco em tempos sombrios.

[ Terra ]

'Aruanas' mostra luta atual em defesa da Floresta Amazônica

Série que estreia na Globo hoje à noite traz ambientalistas lutando na linha de frente da preservação do meio ambiente

[ O Tempo ]

Winners of the 8th Annual Social Impact Media Awards

“Our SIMA 2020 winning films are the antidote to apathy. They give us no choice, no option to look away, no alternative then to see our own role in creating a more just and equitable world. The journeys they take us on are so raw and intimate, complex and beautiful—they skillfully lift the veil on our own complacency and inspire to such heights that only action can follow. This is global impact cinema at its finest and should be mandatory viewing for all.”

[ SIMA Awards 2020 ]

Maria Farinha Films no relatório The State of Social Impact Entertainment

Produzido pela Skoll Center, o relatório The State of Social Impact Entertainment que explora o panorama do impacto social do entretenimento através de aprendizados de algumas pessoas que estão ajudando a mudar o mundo com o seu trabalho, incluiu a Maria Farinha Filmes em seu mapeamento.

[ Skoll Center for SIE ]

Evento beneficente celebra mulheres notáveis em São Paulo

BrazilFoundation apresenta sexta edição de noite de gala dedicada a mulheres e equidade de gênero. Apresentado por Camila Pitanga, o gala celebrará 14 mulheres que se destacam em suas áreas de atuação, além de homenagear três personalidades referência em filantropia no Brasil. São elas Charô Nunes, Claudia Bork Saad, Denise Damiani, Denise Dora, Elena Landau, Estela Renner, Flávia Oliveira, Jurema Werneck, Luiza Brasil, Mary Alegretti, Pri Bertucci, Sônia Guajajara, Sueli Carneiro e Vilma Reis.

[ Folha de São Paulo ]

Globo’s ‘Aruanas’: Estela Renner on a Female-Centric Amazon Thriller

CANNES  — Do yourself a Netflix. On July 2, Brazilian media giant Globo launched Amazon.set thriller “Aruanas,” a single scripted series produced for OTT service Globoplay, in 150 countries worldwide using Vimeo-powered platform aruanas.tv. It offers  subtitles in 11 languages: English, Spanish, French, Italian, German, Dutch, Russian, Arabic, Hindi, Turkish and Korean. That global initiative reflects “Aruanas”’ urgency.

[ VARIETY ]

GASTRONOMIA SOCIAL, O DOCUMENTÁRIO

Um documentário mostrará como a gastronomia pode melhorar vidas e combater o desperdício. Mesa para todos conta a história do Gastromotiva, restaurante-escola no centro do Rio de Janeiro que prepara refeições com ingredientes excedentes e serve jantares gratuitos para moradores de rua.

[ ÉPOCA ]

Você tem fome de quê? ‘Mesa Para Todos ’, no GNT, apresenta inclusão pela comida

O GNT põe no ar nesta segunda – feita (28) o documentário  ” Mesa Para Todos” uma coprodução do canal com a Maria Farinha Filmes, que joga luz sobre uma iniciativa inspirada para a fome. O filme apresenta o projeto Reffettorio Gastromotiva, um restaurante escola, cujos pratos, durante o período da Olimpíada do Rio de Janeiro, foram elaborados pelos melhores chefes to mundo, como Alain Ducasse, Mauro Colagreco, Virgilio Martinez, Micha, Kamila Seidler e Manu Bufara, junto a alunos da Gastromotiva, utilizando alimentos que seriam desperdiçados, apesar de estarem em perfeito estado de consumo.

[ Folha de São Paulo ]

TV drama highlights dangers of environmental activism in Brazil

A new TV series Aruanas focuses on environmental journalists and activists in Brazil vast, forested interior, where 57 environmental defenders were killed in 2017. Estela Renner is the creator and director of the show and Marcelo Furtado is former executive director of Greenpeace in Brazil and was an advisor to Estela in the making of Artuanas.

[ BBC UK ]

Globoplay’s ‘Aruanas’ Amazon Rainforest Series Bows in 150 Countries

Globoplay, the streaming platform of Brazilian media giant Globo, is set to bow one of its most ambitious fictional series to date, “Aruanas” (“Sentinels of Nature”).

[ VARIETY ]

Astros mundiais da gastronomia participam do “Mesa Para Todos”, novo projeto da Maria Farinha Filmes e GNT

Documentário mostra o protagonismo de chefs reunidos para oferecer comida, cultura e dignidade à pessoas em vulnerabilidade social no centro do Rio de Janeiro. O Refettorio Gastromotiva é um projeto do chef, empreendedor social e Fundador da Gastromotiva, David Hertz, Massimo Bottura, eleito melhor chef do mundo e fundador da Food for Soul e Alexandra Forbes, jornalista e curadora gastronômica.

[ NEOMUNDO ]

In Bolsonaro’s Brazil, woke soap operas are part of the resistance

 It has the glamour, betrayal and thin plot of any soap opera, but the activist tone of “Aruanas,” the latest drama to sweep Brazil, is undeniable. The producers of the country’s newest television series, which premiered this month to an audience of 23 million people, hope to bring the deadly fight for control of the Amazon into living rooms across the country.

[ THE WASHINGTON POST ]

Série “Aruanas” traz para a telinha debate sobre garimpo e trabalho de ativistas na Amazônia

Costumo dizer que a melhor forma de alguém criar empatia pela floresta é aproximar-se dela e como nem todas as pessoas podem simplesmente estar nela, Aruanas possibilita isso, ao mostrar um pedaço daquilo que é real e que acontece por lá. É ficção, é entretenimento, mas é assim que é e basta dar uma olhada nos noticiários e perceberá que, apesar de ter sido escrita e roteirizada antes das eleições presidenciais, não poderia ser mais atual.

[ ESTADÃO ]

Série ‘Aruanas’ mostra necessidade de cuidar da Floresta Amazônica

Quatro mulheres lutando para proteger a floresta e as terras indígenas da devastação provocada pela mineração ilegal e pela corrupção.

[ ONU ]

Ponto mais eficiente de “Aruanas”, vilão reproduz diálogos idênticos aos do noticiário

Quanto maior a maldade do vilão, maior o heroismo do mocinho. Muito já foi dito sobre o protagonismo feminino de “Aruanas”, estampado no trio formado por Débora Falabella, Taís Araújo e Leandra Leal. Elas interpretam as corajosas ativistas que movimentam a série de Estela Renner e Marcos Nisti, realizada pela Maria Farinha Filmes para o Globoplay.

[ FOLHA DE SÃO PAULO ]

De olho na tela

A diretora Estela Renner e o produtor Marcos Nisti, sócios da Maria Farinha Filmes, lançam sua 1º série de ficção, “Aruanas”; com Taís Araujo, Leandra Leal, Débora Falabella e Camila Pitanga.

[ FOLHA ]

Ativismo ambiental é o eixo de nova série

A trama é fictícia, mas a inspiração é real: a Amazônia é o cenário da primeira temporada de “Aruanas”, superprodução da Globo e da Maria Farinha Filmes que estreia esta semana em 150 países.

[ VALOR ECONÔMICO ]

Globo lança ‘Aruanas’ em Portugal: série traduz para o mundo o desastre ambiental brasileiro

Série que mereceu lançamento em Londres, Nova York e São Paulo, “Aruanas”, disponível aqui pelo Globoplay, teve evento de apresentação especial em Lisboa, nesta quarta-feira, com as presenças de Debora Falabella, umas das protagonistas, Marcos Nisti, autor e coprodutor, e Ricardo Pereira, diretor da Globo Portugal.

[ FOLHA DE SÃO PAULO ]

Débora Falabella participa da pré-estreia de 'Aruanas' em Londres

As primeiras imagens de Aruanas ganharam as telas do tradicional Electric Cinema, em Notting Hill, Londres, na tarde de terça-feira, 18/6.

[ GSHOW ]

Taís Araújo lança 'Aruanas' em NY ao lado de lideranças internacionais

Atriz é protagonista da série que fala sobre a importância dos defensores do meio ambiente

[ ESTADO DE S. PAULO ]

Débora Falabella participa da pré-estreia de 'Aruanas' em Londres

Série da Globoplay estreia em 2 de julho no Brasil e em mais 150 países

[ O GLOBO ]

Aruanas: produção global terá emissão zero de poluentes

A série ambiental da Globo “Aruanas”, com as atrizes Taís Araújo, Débora Falabella, Leandra Leal e Thainá Duarte, terá emissão zero de poluentes.

[ VEJA ]

Aruanas: Leandra Leal, Debora Falabella e Taís Araújo na nova série do Globoplay

O Globoplay lançou o primeiro trailer promocional de Aruanas, nova série original que estreia no próximo dia 2 de julho na plataforma de streaming.

[ MINHA SÉRIE ]

“Aruanas” estreia na Globoplay e vai ser exibida em 150 países

A partir do dia 2 de julho, “Aruanas” estreia exclusivamente na Globoplay para 150 países.

[ CORREIO DO ESTADO ]

Globo apresenta série ``Aruanas`` em Londres e exibição envolve 150 países

Na segunda (24) é a vez de Nova York; estreia no Brasil está marcada para julho no Globoplay

[ PROPMARK ]

'Aruanas': elenco e equipe lançam série original do Globoplay

Débora Falabella, Leandra Leal, Taís Araujo, Thainá Duarte, Camila Pitanga e mais atores e autores falaram da experiência com o trabalho que tem como pano de fundo a Amazônia

[ GSHOW ]

Taís Araújo: “Consciência sem ação serve para pouca coisa”

Taís Araújo: “Consciência sem ação serve para pouca coisa”

[ M DE MULHER ]

Globo promove lançamento de ``Aruanas`` em Nova York

Após uma première em Londres, a série original Globoplay “Aruanas” fez sua pré-estreia em Nova York.

[ TELA VIVA ]

Taís Araújo lança 'Aruanas' em NY ao lado de lideranças internacionais

Taís Araújo marcou presença no lançamento da série Aruanas, em Nova York, nesta segunda-feira, 24.

[ METRO NEWS ]

Taís Araújo lança Aruanas nos EUA: ``História me fez mais corajosa``

A Globo promoveu ontem em Nova York, nos Estados Unidos, o lançamento da série Aruanas no Angelika Film Center.

[ BOL ]

Globais promovem série e não temem polarização política: ``somos cascudas``

Protagonistas de “Aruanas” divulgaram a série que estreia em julho no Globoplay e falaram sobre possíveis críticas com viés político

[ IG ]

Aruanas preps global premiere

“The ten-part series has a very clear goal: warning against the global environmental crisis and promote the appreciation and protection of the extraordinary work of activists.”

[RAPIDTVNews]

Inspirada por diretora de ‘Aruanas’, Leandra Leal diz: ‘Quero dirigir’

‘Aruanas’, a nova produção original do Globoplay, promete ser uma injeção de ânimo para a discussão ambiental e o empoderamento feminino.

  [VÍRGULA]

Daniel de Oliveira diz que aceitou entrar em 'Aruanas' por série abordar tema essencial

Daniel de Oliveira, 44, é uma das novidades no elenco da segunda temporada de “Aruanas”, que estreou no Globoplay na quinta (25). Na trama, ele faz Théo, filho de um poderoso empresário, dono de um dos maiores frigoríficos do Brasil.

Apesar de nascido em “berço de ouro”, o personagem resolve pegar um caminho oposto ao familiar e se une à luta ambiental de Natalie (Débora Falabella), Verônica (Taís Araujo), Luiza (Leandra Leal) e Clara (Thainá Duarte) na ONG Aruanas.

[Folha de São Paulo]